Página que pedia justiça pelo jovem saiu do ar na noite desta
 quarta-feira, 30/REPRODUÇÃO / FACEBOOK
O jovem Douglas Sousa, de 23 anos, está preso desde o dia 1° de março, considerado suspeito pela morte da turista Gaia Molinari, 29, em Jijoca de Jericoacoara, a 294,9 km de Fortaleza. O POVO Online apurou que a prisão cautelar de Douglas deve acabar nesta quinta-feira, 31, mas existe uma possibilidade de ser prorrogada. A italiana foi encontrada morta em 25 de dezembro de 2014, na região do litoral oeste do Estado. De acordo com a família de Douglas, ele é formado em técnicas de enfermagem e estava cursando administração quando foi passar uma temporada em Jericoacoara. Ele teria trancado a faculdade por não conseguir conciliar o trabalho, na recepção de uma pousada.
A irmã do jovem, Meyre Sousa, diz que ainda falta muita informação sobre o que motivou a Polícia a prendê-lo. "Eu nem sei dizer por que ele está preso. Não sei se é verdade que a prisão pode ser prorrogada. Eu realmente não sei porque não tem nada, ninguém passa informação nenhuma pra gente", afirmou. A secretária administrativa diz que, como a maior parte da família mora em Sobral, a 250,3 km da Capital, ficou difícil acompanhar o caso de perto, já que ele está na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Fortaleza. Douglas tem seis irmãos, cinco deles em sua terra natal.
O POVO Online apurou que um amigo está levando água e alimentos para o jovem, na DHPP. A pessoa foi identificada e a reportagem mas até a publicação desta matéria ainda não havia dado retorno. 

Justiça 
"Eu não me sinto nada bem com meu irmão preso porque todo mundo sabe que ele é inocente", diz Meyre. "Ele não tem coragem de matar nem uma barata, imagine um ser humano. Se ele tivesse errado, ele admitiria". A jovem de 25 anos afirma que o irmão nunca se envolveu com nenhum tipo de droga. "Ele é uma pessoa que sempre gostou de estudar. Fala inglês e estuda outros idiomas". 
"É um sentimento muito forte de revolta por saber que ele é inocente", continua. "Ele sempre foi livre, sempre gostou muito de viajar. Agora não deve estar bem física e nem psicologicamente".
Pessoas próximas ao sobralense dizem que ele é um jovem "muito tranquilo". Uma conhecida dele, quando abordada pela reportagem do O POVO, se surpreendeu ao saber da acusação. "Como eu não fiquei sabendo disso?", questionou.

Campanha
Família e amigos do jovem criaram uma petição pública pedindo liberdade para Douglas Sousa. "Prisões temporárias feitas de forma arbitrária infelizmente são recorrentes no Brasil. Sobre pretextos falhos e de maneira discriminatórias, Douglas Sousa, nosso amigo, teve sua liberdade civil suspensa e está sendo acusado de um crime hediondo QUE claramente não se envolveu", diz o texto. "Foram feitos exames de DNA com resultado negativo, em base a esses exames comprobatórios, amigos e familiares exigem a sua desencarceração JÁ"! No Facebook, uma página intitulada "Liberdade para Douglas Sousa, justiça já" chegou a ser criada. Até a tarde desta quarta-feira, 30, 127 pessoas já tinham curtido a comunidade, mas por volta das 19 horas a página estava fora do ar.

Investigação
A Polícia Civil do Estado do Ceará informou que as apurações sobre a morte da italiana continuam sendo realizadas para identificar e prender os envolvidos no crime, confirmando a prisão temporária de Daniel Sousa como suspeito. Detalhes sobre o caso, como a provável prorrogação do cárcere, não podem ser divulgadas "para não comprometer o andamento das apurações". Em nota, a SSPDS diz que "a equipe de investigação, coordenada pelo delegado Rommel Kerth, diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), e composta pela delegada Patrícia Bezerra, atual diretora adjunta da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), que continua presidindo o inquérito policial; e os delegados Vicente Aguiar, da Divisão Antissequestro (DAS), e Danilo Rafanelle, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), segue com os trabalhos".

O POVO