Marcos Valério e Rogério Tolentino foram condenados pela Justiça Federal em Minas Gerais
O Ministério Público Federal informou nesta sexta-feira (14) que Marcos Valério e o ex-advogado dele, Rogério Tolentino, foram condenados pela Justiça Federal em Minas Gerais, no processo que apura um suposto esquema de corrupção no estado, em 1998 - conhecido como mensalão do PSDB mineiro.

Cada um foi condenado a quatro anos de prisão. Valério por corrupção ativa. E Rogério Tolentino por corrupção passiva.
De acordo com a denúncia, Tolentino que era juiz do Tribunal Regional Eleitoral à época, teria recebido R$ 300 mil para favorecer o então candidato ao governo de Minas, Eduardo Azeredo, atual deputado federal pelo PSDB, e o então candidato a vice, Clésio Andrade, atual senador pelo PMDB.

O advogado de Valério declarou que vai recorrer da decisão. O advogado de Tolentino não foi localizado.A assessoria da Justiça Federal não confirmou a sentença e informou que ainda não teve acesso aos autos.

Como tem foro privilegiado, Eduardo Azeredo e Clésio Andrade respondem a processo no Supremo Tribunal Federal.
Na semana passada, o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, denunciou Azeredo pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. E pediu a condenação dele a 22 anos de prisão.

No dia da denúncia, Azeredo divulgou nota reiterando sua inocência e que as questões financeiras da campanha não eram de sua responsabilidade.
O deputado Eduardo Azeredo disse que, como não é réu no processo em Minas Gerais, não vai comentar a condenação de Marcos Valério e de Rogério Tolentino.

A assessoria do senador Clésio Andrade declarou que, na época, ele não ocupava nenhum cargo público e não tinha qualquer vínculo societário com Marcos Valério ou com as agências de publicidade dele.

G1