Donadon foi cassado por 467 votos a favor Foto: José Cruz / Agência BrasilA Câmara dos Deputados cassou nesta quarta-feira, por 467 votos a favor e uma abstenção, o mandato do deputado afastado Natan Donadon (sem partido-RO), na primeira sessão de julgamento de parlamentares por voto aberto. Preso desde junho do ano passado na penitenciária da Papuda, no Distrito Federal, Donadon havia sido absolvido pelos parlamentares em agosto do ano passado, em sessão secreta. O deputado que se absteve foi Asdrúbal Bentes (PMDB-PA). Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 13 anos e quatro meses de prisão por peculato e formação de quadrilha, pelo desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, Donadon deixou a cadeia pela segunda vez para ir à Câmara dos Deputados acompanhar a sessão que definiria o futuro de seu mandato. Dessa vez, no entanto, preferiu não subir à tribuna, deixando o plenário pouco depois de seu advogado concluir a defesa. Em entrevista, disse ser “injustiçado” e atacou o voto aberto. No ano passado, em sessão secreta, a Câmara não obteve maioria absoluta de votos para derrubar o mandato do primeiro parlamentar preso desde a redemocratização. Foram 233 votos a favor da cassação, 131 contra e 41 abstenções, mas eram necessários pelo menos 257 manifestações favoráveis pela cassação. Dessa vez, em voto aberto, foram 467 a favor. O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afastou, em decisão monocrática, Natan Donadon, convocando imediatamente o suplente. Hoje, no fim da sessão, Alves empossou o deputado Amir Lando (PMDB-RO), que já atuava na condição de suplente de Donadon.